Dois anos de governo Borga

Videira – A bem da verdade, ainda estamos esperando o governo Borga acontecer. Até hoje, só vimos e ouvimos aquelas malfadadas audiências públicas com três gatos pingados da comunidade e uns 15 barnabés da Prefeitura. São tantos projetos que no fundo não saem do papel. Quem não se lembra do Plano de Desenvolvimento do secretário da SDR Natalino Lazare? E do outro, do secretário Borga? Sabe o que aconteceu com os respectivos projetos? Foram para o lixo. Na prefeitura a história se repete e o próximo prefeito os dará o mesmo destino, lixo.

Mas, no lixo o prefeito também jogou R$ 2,5 milhões, assim divididos: R$ 500 mil para mobilidade urbana, cujo objetivo era apenas para que alguém atestasse que o terminal rodoviário não deverá ser ali. Mais R$ 2 milhões para a pavimentação do Rio das Pedras até Monte Bérico. Para quem não lembra, refrescaremos a memória: durante a inauguração da rodovia SC-355 no Rio das Pedras, foi anunciado com toda a pompa e aplausos, que o tal asfalto seria construído de forma compartilhada, ou seja, arcariam com os gastos a empresa Master, o Governo do Estado e a Prefeitura de Videira. Fica a pergunta: por quê o combinado não aconteceu e somente a prefeitura pagará?

Comparando com os números da pavimentação das ruas do Bairro Água Verde com o valor de R$ 2,5 milhões daria para calçar aproximadamente quatro mil metros de ruas. Mas você, eleitor, que mora em ruas de terra e paga impostos pode esperar. Na próxima eleição tem mais promessas.

Falando em promessas eis apenas algumas que estavam no Plano de Governo de Borga e Claudete:

– Viabilização de Construção de 1.000 unidades habitacionais até 2020, através do modelo de moradias da Cohab?

– Disponibilizar medicamentos de uso emergencial na unidade de saúde central nas 24 horas do dia?

– Viabilizar o atendimento das creches em horários compatíveis com as necessidades das trabalhadoras (es) do município (diário, mensal e anual)?

– Implantar o Programa habitacional rural em parceria com o Governo do Estado, Governo Federal e entidades credenciadas para execução?

– Viabilizar feira de produtos agrícolas da Agricultura Familiar através da estruturação de um espaço adequado para este fim, como um Mercado Público?

– Construção de um parque municipal de eventos para receber grandes promoções, shows e espaço de exposições?

– Buscar parcerias com a iniciativa privada, pública e companhias aéreas para a operação de voos comerciais no aeroporto Ângelo Ponzoni (Efeito Videira)?

– Construção de um espaço para a promoção da Cultura (Teatro Municipal)?

– Pavimentação de todas as ruas dos bairros não pavimentadas?

– Pavimentação de pelo menos 16 km de acessos nas estradas do interior?

Falando em pavimentação do interior, fica o repudio de como a comunidade de Sede Etelvina foi usada inescrupulosamente para o anúncio de 700 metros de asfalto da Cidade Alta até a ponte do Rio XV. Fala sério, 700 metros refresca a vida para quem tem 15 km de estrada de chão pela frente?

Poderíamos citar ainda a deficiência alimentar nas escolas e creches, falta de medicamentos, sérios problemas nas escolas e na educação entre tantos outros, mais de cem.

Como ponto positivo a municipalização da Casan, cuja transição realizada de forma amadora, no futuro trará bons resultados. A vinda da Havam e do Passarela contribuem para o nosso comercio e ainda a recuperação da Sagrinco, onde a Master implanta um moderno frigorífico.

Mas, não percamos a esperança, o governo Borga começa em 2019.

Leia mais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *